1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

.

Loucos Varridos vai levar arte com conscientização ao Niterói

A comunidade escola da E.M.E.F Theodoro Bogen e a população local do bairro Niterói vão ser os próximos contemplados, nesta tarde, por mais uma edição do projeto "Loucos Varridos", proposta que difunde arte e conscientização pelos bairros da cidade. Na ocasião, ocorre mais uma apresentação da peça i-Mundo, com o grupo teatral Mototóti.

Realizado pela Secretaria Municipal de Cultura, por meio da Diretoria de Linguagens Artísticas, o projeto Loucos Varridos foi inaugurado em março deste ano, coincidente com o Dia Internacional do Teatro. Realizada mensalmente, essa iniciativa envolve intervenções urbanas com as comunidades escolares, em combinando a promoção da arte e da cidadania, por meio da conscientização ambiental.

A atividade ocorre hoje, a partir das 15h, a partir das dependências da E.M.E.F Theodoro Bogen.


A proposta

Conforme a dinâmica do projeto, em um primeiro momento, o grupo se desloca para um local que necessita uma ação de limpeza, onde é realizada a atividade cultural. Em um segundo momento, é organizada uma intervenção de limpeza desse local, conforme a necessidade existente. Esta ação tem o envolvimento da comunidade presente, incluindo os artistas e os gestores públicos municipais. O projeto conta com a parceria das subprefeituras das quatro Regiões (Nordeste, Noroeste, Sudoeste e Sudeste) e das secretarias municipais de Serviços Urbanos e de Meio Ambiente.

 

O Grupo Mototóti

Criado em 2007 pelos atores Carlos Alexandre e Fernanda Beppler, o Teatro Mototóti vem se firmando como um importante Grupo gaúcho, tendo como características de trabalho a pesquisa e prática permanentes em teatro e a construção/manutenção de um repertório de espetáculos, com o propósito de colocar em cena trabalhos autorais que dialoguem com o público nos mais diferentes lugares. Outras informações sobre o Teatro Mototóti e seu trabalho pode ser conferida no site do grupo.

 

A história

Seguindo a linha de utilizar o teatro de rua como um instrumento que possibilita a proximidade e o diálogo com o público, esse trabalho apresenta uma história a partir do olhar de Abs e Obs, dois seres alienígenas. Com eles, algumas cenas do nosso mundo são passadas em revista. Nossa relação com o mundo, com as pessoas e as coisas do mundo é observada e experienciada por estes seres, que chegam em i-MUndo pensando que este está desocupado. Ao encontrar i-MUndanos ainda vivos, mesmo após o fim do mundo, fazem os primeiros contatos de sua "visita". As canções originais são executadas ao vivo, neste espetáculo construído essencialmente a partir do trabalho dos atores.

Ir para o Topo
LiveZilla Live Help