1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

.

Depressão Não é Frescura

Angústia, desespero, vida sem sentido, parece que nada dá certo. Mergulhamos num abismo profundo. A mais profunda angústia. O que faço aqui? Preferimos nos isolar, como um animal ferido. Vontade de chorar. Queremos distância dos problemas. Desafios nem pensar.

 

 

 

O copo está sempre cheio e qualquer gota o faz transbordar. Ansiedade, impaciência, agressividade. O som mais bonito não tem graça, a bela paisagem se torna bucólica, a deliciosa comida é sem sabor, o gostoso perfume não seduz. A sensação é de um dia chuvoso, frio, úmido, cinzento, sem perspectiva.

 

O corpo responde com sintomas como, insônia, perda de apetite, insegurança, cansaço, falta de concentração, músculos tensos, irritação com barulhos, e por aí vai.

 

Algumas pessoas, com nível mais leve de depressão, usam o futebol, drogas, álcool, cigarro, sexo, festas extravagantes, velocidade, viagens e outras atividades como fuga para tentar preencher este vazio, mas não adianta.

 

As pessoas não entendem. Acham que é preguiça, frescura, falta do que fazer ou falta de força de vontade para superar. Se pudessem imaginar!

 

É normal pessoas passarem por traumas como, por exemplo, perda de um ente querido, acidente, desemprego, fim de um relacionamento, entre outros, e ficarem extremamente abatidas, mas isto não é depressão, por tratar-se de um evento passageiro, pontual e a ele estar relacionado. Já a depressão, na maioria das vezes não tem uma causa objetiva.

 

A causa é orgânica, bioquímica. Os neurotransmissores (substâncias produzidas pelos neurônios) não são devidamente capturados por outros neurônios (receptores), fazendo com que o Sistema Nervoso Central funcione de forma irregular. O ideal é o acompanhamento médico e tratamento com medicamentos, mas algumas atitudes podem ajudar a minorar o sofrimento. Envolve qualidade de vida....

 

Quem sofre de deste mal, tem dificuldade de sair sozinho do buraco, mas não deve se entregar. É importante tentar.

 

Não a drogas, cigarro e álcool.

 

Alimentação sadia, muita fruta, verdura, alimentos ricos em fibras, integrais,  peixes, iogurtes desnatados ( sempre com moderação), sem refrigerantes ou cafeína em excesso.

 

Atividade física. Os estudos que relacionam a atividade física à depressão têm verificado que indivíduos que praticam atividade física de forma regular reduzem significantemente os sintomas depressivos (SHARKEY, 1998). Feita em praças, ruas, academias ou outros locais, a atividade física é benéfica para a prevenção de uma infinidade de doenças, promove o convívio social, o contato com a natureza, com o sol (que também é saudável nos horários apropriados).

 

Arrumar um tempo para si, para o lazer, cantar, brincar, dançar, ter amigos. Não assumir projetos e compromissos demais.

 

Relaxar e meditar. Exercitar a respiração profunda. Afastar da mente pensamentos negativos.

 

Às vezes uma mudança no estilo de vida pode ajudar. É preciso parar para refletir, mudar o rumo, se informar sobre a doença.

 

Num dia cinzento e chuvoso, se pudéssemos entrar em um balão e subir, subir, subir, atravessar a camada de nuvens, nos depararíamos com o sol, belo e radiante.

 

Por isto não esquecer que, por mais triste que esteja o dia, o Sol esta lá. Além das nuvens e da tristeza. Ele sempre estará lá...

 

Leonardo Vieira

 

{flike}

Ir para o Topo
LiveZilla Live Help